ESPECIAL CORONAVÍRUS
(Saber para agir)

O que é um coronavírus?

Os coronavírus são um grande grupo de vírus conhecidos desde os anos 1960, são a causa comum das infecções respiratórias ligeiras a moderadas de curta duração, mas também podem causar pneumonias, e alguns causam infecções gastro-intestinais. A maioria das pessoas infecta-se ao longo da vida por coronavírus sem consequências relevantes.
Entre os coronavírus encontram-se alguns que condicionam pneumonia atípica grave conhecidos por SARS (China, 2003), o MERS (Arábia Saudita 2012).

 

E esta variante em particular?

O novo coronavírus condiciona uma virose denominada COVID-19, e o vírus que a causa intitula-se SARS_CoV-2. Este coronavírus foi identificado pela primeira vez em Dezembro de 2019, na China, na Cidade de Wuhan, onde causou um surto de doença. Este novo agente nunca tinha sido previamente identificado em seres humanos. A fonte da infeção é ainda desconhecida.

 
Como se transmite?

Transmite-se de pessoa a pessoa através das gotículas de saliva e expectoração, quando se tosse, espirra ou fala, e por contacto com as superfícies contaminadas por gotículas contendo o vírus (até um metro de distância da pessoa infectada). O vírus pode perdurar alguns dias nas superfícies contaminadas quando as temperaturas são baixas.
 

Quando se transmite?

Este vírus, tal como os da gripe comum, irá comportar-se como infecção sazonal (no período do Inverno), pelo que, este ano, é expectável que o número de infectados comece a diminuir com a chegada da Primavera, uma vez que o vírus é sensível à temperatura, à diminuição da humidade ambiente, e aos raios solares. Assim, os vírus que saiam das secreções das pessoas ficarão inactivos antes de que possam contagiar, reduzindo, assim, a sua transmissão.
 

O que se sabe da sua gravidade?

Tal como outras viroses, há muitas pessoas infectadas que apresentam apenas sintomas leves (81% dos casos) e outras são assintomáticas, isto é, não apresentam quaisquer sintomas. Os casos mais graves (5% dos casos), tal como noutras doenças virais, verificam-se em pessoas maiores de idade que apresentam um sistema imunitário mais frágil por terem doenças crónicas: diabetes, doenças cardíacas, etc. Também se sabe que a poluição atmosférica intensa e o tabagismo fragilizam as vias respiratórias, por isso, o surto tem crescido tanto em Wuhan, pois esta cidade tem uma poluição atmosférica elevadíssima e metade da sua população adulta é fumadora.
 

COMO LIDAR COM O PROBLEMA

A melhor forma de lidar com esta situação é encará-la sem rodeios mas também sem alarmismos.
Procure informação junto das entidades oficiais ou da comunidade médica, evite os media alarmistas, reforce os comportamentos de higiene individual que reduzem os riscos de contágio e adopte modos de vida, incluindo alimentares, que reforcem o sistema imunitário.

 

 
Manuela Cerejeira
Médica
medicinadavida22@gmail.com